Henry Bugalho

Henry Alfred Bugalho é curitibano, formado em Filosofia, com ênfase em Estética. Especialista em Literatura e História. Autor dos romances "The Parallel Life of your Dog", "O Cão Cego da Guardia Vieja", "O Rei dos Judeus", entre outros, também escreveu novelas e coletâneas de contos. Editor da Revista SAMIZDAT e fundador da Oficina Editora. Autor do livro best-selling “Guia Nova York para Mãos-de-Vaca” e do "Nova York, Bairro a Bairro", cidade na qual morou por 4 anos, e do "Curso de Introdução à Fotografia do Cala a Boca e Clica!". Também residiu na Argentina, Itália, Portugal, Inglaterra e Espanha, sempre acompanhado da sua esposa Denise, do filho Phillipe e da Bia, sua cachorrinha. Organiza oficinas literárias desde 2005.

37 comentários até agora

  1. Carlos Germano Ataides Dos Santos
    5 de dezembro de 2017 @ 22:55

    Quero escrever um livro e, claro,mostrá-lo para as pessoas. Será uma história diferente, intrigante.

    Reply

  2. Juscelina Maria Viana
    2 de janeiro de 2018 @ 19:14

    Sou enfermeira obstetra quero escrever um livro nessa área. Como faço?

    Reply

    • Laura Bacellar
      9 de janeiro de 2018 @ 15:14

      oi Juscelina,
      fiz uma postagem sobre não-ficção com algumas dicas, veja se ajudam
      http://www.escrevaseulivro.com.br/demonios-que-atrapalham-escritores/
      Recomendo que pense bem em quem vc quer ajudar e com que material específico. Pense em fazer uma obra que atenda a uma necessidade bem clara e definida de um grupo de pessoas.

      Reply

  3. lucia fonga fernando
    15 de janeiro de 2018 @ 11:11

    Eu estou a escrever um livro que se chama amor de outro mundo
    mais o problema è que eu nunca mostrei a ninguem este livro tenho receio que as pessoas
    nao gostam do que eu escreve , e ate agora continua assim . Eu tenho a certeza que ele è bom
    ate acho que poderia ser tambem um filme .

    Reply

    • Laura Bacellar
      15 de janeiro de 2018 @ 11:24

      Lúcia,
      escrever sempre é um risco. Sempre vai ter quem goste e quem não goste, vc precisa arriscar.

      Reply

      • lucia
        26 de janeiro de 2018 @ 07:11

        Laura , obrigada pela dica , vou tenta arrisca , mais primeiro vou comesar a tenta pela a minha familia vou ver a reaçao deles e ai vou tentar mostrar pra alguma agencia .

        Reply

  4. lucia fonga fernando
    15 de janeiro de 2018 @ 11:19

    Sou muito criativa consigo inventar uma historia de qualquer tipo de tema , mais o problema è ter a corragem de mostrar em alguem . as vezes posso ate contar o que escreve mais nao consigo mostrar o que eu escreve , eu fico triste quando alguem leia o que eu escrevo

    Reply

  5. Carla Susana Ferreira da Gama
    12 de fevereiro de 2018 @ 16:17

    Olá Laura, gostaria de escrever uma mais ou menos biografia, não sei como começar, tenho escrito o que me vai na alma no momento, nada mais…e obviamente como tirar proveito de uma publicação do meu livro, o que me aconselha. Obrigada! Carla Gama

    Reply

    • Laura Bacellar
      27 de abril de 2018 @ 21:31

      Carla, leia biografias que estão fazendo sucesso e veja como são organizadas. Veja o que funciona, o que agrada em cada uma. Aí resolva como fazer a sua.
      Escritores são os melhores professores…

      Reply

  6. Catia Kling de Melo
    6 de abril de 2018 @ 09:57

    OLÁ!
    SEMPRE GOSTEI DE LER E TAMBÉM DE ESCREVER (PELO MENOS NA ÉPOCA DE ESCOLA, ONDE EU SEMPRE TIVE BOAS NOTAS EM REDACAO!). BOM, JÁ FAZ ALGUM TEMPO QUE TENHO O DESEJO DE ESCREVER UM LIVRO, ALGO ASSIM BEM INTUITIVO POIS DE REPENTE ME VEIO NA MENTE A VONTADE DE ESCREVER SOBRE MINHA DECISAO DE IR MORAR FORA DO BRASIL E O QUE ESSA DECISAO ME ACARRETOU TIPO EXPERIENCIAS DAS MAIS DIVERSAS POSSIVEIS, ÁS VEZES POSITIVAS, MAS TAMBÉM MUITAS VEZES NEGATIVAS E O QUE TUDO ISSO ME ENSINOU ETC. CREIO QUE SERIA UMA DE MINHAS HISTÓRIAS DE VIDA (FALO ASSIM PORQUE CADA UM TEM UMA ETAPA OU FASE NA VIDA QUE PODE VIRAR UMA HISTÓRIA DE INFANCIA, DE ADOLESCENCIA E A DE DECIDIR RE-COMECAR DO ZERO EM OUTRO PAIS, SEM SABER DOS PRÓS E DOS CONTRAS. GOSTARIA DE ORIENTACAO SOBRE COMO COMECAR ATÉ PORQUE JÁ MORO NA EUROPA (ALEMANHA) TEM QUASE 20 ANOS E PORTANTO HÁ BASTANTE CONTEÚDO PARA ESSA MINHA EXPERIENCIA DE VIDA E NAO SEI COMO COMECAR A NARRAR , CONTINUAR NARRANDO TODA A HISTÓRIA E SABER COMO TERMINAR!

    Reply

  7. Kauan Lopes Nunes
    12 de abril de 2018 @ 20:53

    Tenho diversas ideias para livros, até roteirizei um filme, em meus rascunhos.
    Me sinto em casa com as letras, e vejo que me falta apenas um gás, algo que me motive a enfim trazer ao mundo o renascimento da literatura que tanto escondo nos rabiscos.
    Gostaria de bater um papo com alguém já desta área, mas é imensamente difícil encontrar. Vou deixar meu e-mail, e espero contato, mesmo sabendo que não será tão fácil e talvez nem respondido.

    Reply

  8. Sônia Maria dos Santos Araújo
    1 de junho de 2018 @ 20:35

    Boa noite.
    Após fazer meu mestrado, escrevi meu primeiro livro com foco no assunto abordado, o cyberbullying. Por ser praticamente leiga na área, caí nas mãos de uma prestadora e NÃO de uma editora. Ela fez um péssimo serviço, valores altos, capa muito pobre e não seguiu a ABNT. Para os serviços NÃO ouve contrato, foi tudo verbalmente e agora quero atualizar meu livro, numa 2a. edição, com temas que não foram abordados no primeiro livro, mesmo porque, não existiam na época, mas NÃO quero saber de pagar editora.
    Gostaria que me indicassem alguma que trabalha a educação, virtualidade, pois meu livro irá trabalhar o cyberbullying, igual ao primeiro, só que agora terá um foco maior na família e empatia.

    Reply

    • Laura Bacellar
      5 de julho de 2018 @ 11:32

      Sônia,
      por favor pesquise. Eis algumas dicas:
      1. Entre no site da livraria Cultura http://www.livrariacultrua.com.br ou da Amazon http://www.amazon.com.br para descobrir editoras brasileiras.
      Pesquise títulos com uma palavra-chave semelhante ao de sua obra. Pense sobre o tema mais importante que você aborda e pesquise palavras-chave que remetam a ele, por exemplo bullying. Olhe então as obras que aparecem no começo da lista (em geral a Cultura apresenta as disponíveis, o que significa que aquelas são recentes e a editora está comercialmente ativa) e veja de que editoras são.
      2. Anote as ditas editoras e depois vá procurar cada uma, dar uma olhada em seus sites. Dê uma olhada em seus catálogos para ver se têm vários livros daquela mesma categoria, semelhantes ao seu. Sinta se a frequência é a mesma da sua obra.
      3. Olhe também a apresentação do site, se é fácil comprar, se a editora tem jeito de ser séria ou se é muito precária.
      4. Das que achar legais, veja as instruções para submeter originais para análise. Cada uma funciona de um jeito hoje em dia, algumas até preferem originais anexos por email, outras querem um resuminho. As que não dizem nada vc pode entender que preferem o sistema tradicional de originais impressos enviados pelo correio aos cuidados do editor chefe.
      5. Mande os originais com uma carta personalizada a cada editora, dizendo porque acha que sua obra combina com eles. Cite de preferência obras do catálogo deles que você acha que combinam com a sua.

      Reply

  9. Roberto Comper
    21 de julho de 2018 @ 20:38

    Eu comecei a escrever o inicio de uma da historias do meu livro, pois acho mais fácil escrever pequenas historias de cada vez cada uma com seu próprio diferencial agradeço o post que me ajudou a ter algumas ideias mais claras para continuar

    Reply

  10. Léia Bastos
    29 de julho de 2018 @ 03:41

    Olá, eu estou chegando por aqui agora, ainda não consegui ler todos os artigos.
    Escrevi um livro e estou com uma duvida!
    Existe um número de palavras necessárias para se escrever um livro?
    Caso a resposta seja sim.
    Quantas mil palavras seria bom?
    Só mais uma duvida!
    Mencionar nomes de instituições religiosas, relatando fatos que realmente acontecerão e que infelizmente possa vir denegrir a imagem das mesmas, isso é crime?
    Se preciso for, eu posso mudar tudo que seja necessário, pois quero muito publicar o meu livro.
    Estou gostando muito de todas as dicas, que são dadas no canal.
    Agora vou conseguir realizar o meu sonho, pois escrever é o meu maior prazer!
    Ficarei no aguardo.

    Abraços

    Reply

    • Laura Bacellar
      1 de setembro de 2018 @ 18:26

      oi Léia,
      não há número de palavras obrigatório, mas um livro dirigido a adultos é bom que tenha pelo menos 120 páginas.

      Reply

  11. Jane Rocha
    3 de setembro de 2018 @ 13:26

    oi escrevi um rascunho de acontecimentos de minha vida, mas nele eu falo sobre abusos que me aconteceram na infância e adolescência, seria prudente fazer um livro sobre o assunto, na terceira pessoa ou isso poderia me prejudicar.

    Reply

    • Laura Bacellar
      11 de outubro de 2018 @ 14:31

      Jane,
      muita gente tem escrito sobre abuso e os caminhos são variados. Se vc fizer um relato autobiográfico em primeira pessoa, sugiro que não cite nomes reais e mude um pouco as características, para que ninguém possa processá-la. Se usar ficção, mude o que lhe der vontade mas mantenha a verdade essencial dos acontecimentos e sua carga emotiva.
      Dê uma olhada em autoras que falaram de abuso, é um tema triste mas muito forte.
      Veja uma lista bem literária aqui http://www.universodosleitores.com/2017/02/10-livros-sobre-abuso-e-violencia.html mas são muitos os livros sobre o assunto além desses, tanto do ponto de vista de terapeutas quanto de vítimas.
      Veja o que mais se parece com o que vc quer fazer e se inspire.

      Reply

      • RICARDO ANDRE ALVES
        14 de março de 2019 @ 21:26

        Olá Laura Bacellar Sou um pai que quer escrever um livro.
        História sobre vivencias onde meu filho hoje com quase 9 anos vive em um tratamento contra leucemia a mais 2 anos e 4 meses
        Quero falar destas lutas onde vivemos pessoas que conhecemos dentro desta mesma luta
        As nossas fraquezas e temores
        Acho que isto possa ajudar os médicos e outras famílias de alguma forma esclarecer pontos específicos falhas humanas entre outras coisas vividas por mim

        Reply

        • Laura Bacellar
          18 de março de 2019 @ 09:50

          É um bom tema, Ricardo. Quando a gente luta contra algo grande sempre inspira os outros. Leia livros semelhantes para sentir como em geral fazem, mas também deixe seu coração guiá-lo.
          Boa sorte.

          Reply

  12. Josenete Cardoso da Silva
    24 de outubro de 2018 @ 00:10

    Gostaria saber se antes de abrir um canal para escrever um livro tem que registrar .

    Reply

    • Laura Bacellar
      30 de outubro de 2018 @ 17:21

      Um canal? Registrar onde? Na BN não.

      Reply

  13. Manu
    16 de novembro de 2018 @ 14:18

    quero escrever um livro sobre meu relacionamento e a busca da felicidade,porem contando partes da minha vida,quero uma orientaçao ou referencias de algum livro parecido.

    Reply

  14. Marcelo Oliveira Ursine
    26 de novembro de 2018 @ 18:32

    oi estou combinado de escrever um livro com meu filho de 11 anos, o assunto didático falar a respeito da flora brasileira, porém são resultados de pesquisas sobre o assunto e varias fontes é legitimo escrever reunindo todos esses dados, obrigado.
    Minha cunhada disse pra eu escrever um livro espirita, conheço muito do assunto porém existe uma divergência de costumes que quero evitar, obrigado

    Reply

    • Laura Bacellar
      6 de dezembro de 2018 @ 20:09

      É legítimo citar informações dadas por outros, mas não copie longos trechos, apenas trechos curtos e cite sempre a fonte.

      Reply

  15. Cleber Rogério Machado Farias dos Santos
    3 de dezembro de 2018 @ 21:31

    Há um bom tempo eu tenho vontade de escrever uma biografia de minha vida e nao sei como começa alguem pode me dar um norte pra inicia seria melhor uma biografia ou umas cronicas

    Reply

  16. Christina Cavalcante de Oliveira santos
    6 de dezembro de 2018 @ 18:29

    Olá, tenho vários cadernos escritos,sobre pensamentos na qual eu falo de uma forma sobre sentimentos que todos tem,mas não falam a respeito, tanto quanto alegria, tristeza, insatisfação, machismo,vaidade,a espera do reconhecimento do outro. Enfim por onde eu começo.

    Reply

  17. Débora Falcão
    2 de janeiro de 2019 @ 14:36

    Olá. Estou escrevendo uma ficção que envolve política, e gostaria de convidar um colega professor, que também é cientista político, para ser meu consultor. Mas não faço ideia de quanto um consultor assim ganha. Quanto devo pagar? Um valor fixo ou uma porcentagem dos direitos autorais nas vendas? A segunda opção seria mais viável, mas qual seria esta porcentagem?

    Reply

    • Laura Bacellar
      22 de janeiro de 2019 @ 12:01

      Débora,
      ofereça um valor fixo. Porcentagem de uma obra não publicada significa pouco.
      Negocie um valor que ambos aceitem, não há tabela para isso.

      Reply

      • Renata Carvalho
        24 de março de 2019 @ 21:09

        Obrigada pelo texto ajudou muito até mesmo ver os coments e respostas, fiquei até mais motivada♡
        Estou escrevendo uma história que sempre estou pensando nela, consigo ver quase todo o desenrolar,mas me perco muito em especial nos dialogos e.e
        Tnho uma certa dificuldad de escolher o tipo de texto q a historia vai se encaixar as vezes acho que parece mais uma novel do que o livro que eu gostaria de torna-la, bom mas vou continuar até o último ponto final
        posso pedir que leia um pouco qundo eu conseguir terminar?

        Reply

  18. Arany Dias
    28 de janeiro de 2019 @ 09:51

    Quero escrever um livro sobre os milagres de jesus, não sei como começar, acho que já tem tantos livros parecidos, queria fazer uma pegada atualizada….será que é viável?

    Reply

    • Laura Bacellar
      28 de janeiro de 2019 @ 19:06

      oi Arany,
      pois é, vc precisaria encontrar um diferencial. Leia o que existe e procure sentir o que falta, o que vc gostaria de ler mas não encontrou. Pode ser um bom caminho.

      Reply

  19. Mark Santos
    28 de fevereiro de 2019 @ 17:38

    Boa tarde Laura!

    Muito boa sua matéria. Serve muito de inspiração. Pois estou tentando dar continuidade em uma obra baseada em fatos reais, onde uma pessoa perde a memória, fica perdida pelas ruas por um tempo até ser encontrado. Mas a vida dele nunca mais seria a mesma. Obrigando-o a recomeçar sua vida sem lembranças, memórias e as pessoas que até então os cercavam.
    O livro contaria um pouco na história dele antes do ocorrido, as experiências do período que viveu pelas ruas (e foram muitas) e sua nova jornada.
    Mas me perco muito vezes e acabo deixando um pouco de lado.
    Já procurei apoio para esse trabalho ou até ajuda para incentivar a dar continuidade e conclusão.

    Reply

  20. Sukka
    20 de abril de 2019 @ 02:02

    Boa noite, meu nome é Sukka.
    Quando meu único filho, nasceu todos os dias,eu inventava, historinhas para ele dormir,e aí ele só dormia quando eu contava histórinhas, sempre as historinhas,era de crianças,ou gatos, peixinhos, estrelinhas, cachorrinhos. Hoje ele tem 21anos, vai se formar em nutrição,estuda na Faculdade Mackenzie, é muito inteligente. Conversando com ele, sobre as histórias que eu inventava, disse que eu sentia saudades,ele respondeu eu também , lembro de todas elas, .. ele falou me escreva elas mãe, eu disse não sei nem como fazer, eu já inventei,ou imaginei várias , as vezes passo o dia todo narrando para mim mesma as histórias que invento, romances , dramas, mas sinto que eu não saiba passar no rascunhos, já pensei em graças audio .
    Fico com cérebro cansado de tanto , ficar contando histórias para mim mesma, é como se eu tivesse pensamento fixo , não sei te explicar.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *